Saturday, September 06, 2008

cartas e dedicatórias

Há algum tempo que a correspondência entre Sophia e Sena repousava na minha mesa de cabeceira e era recurso para dias especiais. Hoje acabei de as ler, mas continuarão recurso para dias especiais. Porque são especiais, são boas, são sérias e reflectem uma relação de amizade comovente.
Cartas, reflectia, gosto de cartas, gosto de escrever cartas. Mas as cartas implicam distância. Se eu escrever uma carta para o meu parceiro(a) do lado, é mau sinal. A carta é um modo de comunicação para quem está longe. Na carta misturam-se notícias com reflexões, expressam-se sentimentos. Os mails não substituem as cartas.
Dedicatórias, tenho vindo a perceber a sua importância. No fim deste livro coleccionam-se as dedicatórias de Sena para Sophia - elas marcam o tempo, marcam os livros e compõem a vida.

2 comments:

M.Júlia said...

Partilho consigo o interesse por escrita epistolar, por vezes pedaços de vidas, tão ricos em experiências e ideias. Curiosamente acabei de ler "cartas a um jovem poeta" de R.M.Rilke, embora tivesse ficado com a ideia de que o apreciei mais quando o li hà anos atrás. Na impossibilidade de lhe escrever uma carta, embora a distância o justificasse, terei de lhe agradecer por mail, o facto de me ter dado a ideia de reler "O leopardo" quando colocou a capa do mesmo, num outro post. É um livro notável e são estas partilhas que ás vezes nos vão dando gosto à vida. Obrigada! Aqui regressarei sempre, e com muito prazer.

maria said...

E porque não escrever uma carta?
De qualquer modo é sempre bom através deste meio encontrar pessoas nos mais diversos lugares que se identificam ... com a capa de um livro! Obrigada também.