Thursday, November 27, 2008

Encurtar distâncias

Gosto do David Sylvian há muito e da sua música. Gosto da ex-mulher dele, Ingrid Chavez, da sua poesia, música e mundo que a rodeia e escolheu para si. Por andar viciada na remembering julia (uma canção de ambos) resolvi visitar o myspace de Ingrid e, ao deparar-me com as coisas bonitas que nele existem, adicionei-a como amiga. Fi-lo adicionando uma pequena nota: “when i grow up i wanna be you”. Hoje, quando acordei, tinha no email uma notificação de que o meu pedido tinha sido aceite e uma mensagem privada de Ingrid dizendo: “from what i can see… it seems that you’re enjoying being you.”

Ora bem, e pondo de parte o facto de estar ou não estar a gostar de ser eu, receber uma coisa destas logo pela manhã é bom e leva-me a reflectir sobre dois pontos:

Primeiro, a Internet aproxima-nos realmente. Deixa de haver oceanos e terra. Onde imaginaria eu que adicionar Ingrid Chavez no myspace pudesse abrir-se uma porta comunicacional destas. E assim como torna os ídolos e pessoas que fazem bem as coisas no campo que queremos para nós próxima, também permite aos artista (re)conhecer os seus discípulos ou pessoas escondidas no mundo a fazer coisa encrostadas de sentido (ler meaningful).

Segundo, o poder intensificador da palavra é uma realidade e não apenas uma coisa que uma dúzia de deslumbrados discutem num curso de literatura mundial. É bom, quando se dá palavras, receber palavras em troca e elas são capazes de criar relações. Entregarmo-nos ao trabalho da palavra para criar relações. Dou muitas palavras aos meus amigos, amantes e amados e não são muito frequentes as vezes que recebo palavras (desculpem a pieguice), como se ninguém quisesse alicerçar relações comigo. No entanto, hoje, a Ingrid trouxe uma tamanha energia nas palavras e as minhas não eram assim tão grandes.

Obrigada.

1 comment:

M.Júlia said...

É uma história bonita que há vários anos atrás seria muito difícil ter acontecido. As cartas também atravessavam terra e oceanos, mas para conseguirmos alguns endereços não era nada fácil. Agora na internet vem tudo, com a maior facilidade, quase no segundo a seguir ao momento da procura. Sentir que alguém prestou atenção às nossas palavras, alimenta o nosso ego. É sempre bom vir a este espaço!