Thursday, May 10, 2007

Bolha

Hoje aquela bolha que me é dada, ou que eu conquisto, de eternidade presente, sobreveio. Continuo nela. No vácuo que me transporta para o outro mundo. Aquele que não me é dado ver a não ser em momentos, por momentos. Eles porém fazem-me crer na eternidade. Uma eternidade criada sem fé e sem tempo. Naquele tempo para além do tempo finito que nós podemos recriar com os nossos precários meios de pensamento humano. Como ainda não me foi revelado esse tal outro estado transcendental, que outros humanos vislumbram, acalmo-me e espero serenamente na minha insignificante condição de partícula universal. Dentro desta sublime bolha que partilho com alguns. Bem hajam.

1 comment:

Ninguém said...

...e

...uma ilusão
incandescente

...diz-se que
a noite, hoje, será clara e amável,

...irrepetível!












...acreditas?