Thursday, August 18, 2005

Associações

Descontextualizar para associar. Apropriação - cultura.
Faço-o consciente de que a leitura é minha e de hoje, quarta-feira dezassete de Agosto. Pré-férias e muita densidade.
Não posso deixar de referir a fonte: Proust e Lindley Cintra, por Frederico Lourenço no prefácio da Ilíada de Homero.

Deles, de mim, a paixão pela vida.

“No entanto, sejam quais forem as decepções inevitáveis que nos cause, este caminho na direcção daquilo que mal tivemos ocasião de entrever, do que tivemos possibilidade de imaginar, esse caminho é o único saudável para os sentidos, que nele alimentam o seu apetite. Que melancólico tédio marca a vida das pessoas que por preguiça ou timidez se dirigem directamente de carro a casa dos amigos que conheceram sem terem começado por sonhar com eles, sem nunca se atreverem a parar durante o percurso junto do que desejam!” Proust; ( Em Busca do Tempo Perdido) À Sombra das Raparigas em Flor; Relógio de Água; pág. 458; tradução Pedro Tamen

“... mas sem deixar de perguntar a mim mesmo e o saudoso Professor Luís Filipe Lindley Cintra não teria razão ao convir “...ser preferível errar, acreditando, do que acertar sempre mas por cálculo e por táctica.”” Lourenço, Frederico; Prefácio da Ilíada de Homero

2 comments:

Rumble Fish said...

(...) a vida das pessoas que por preguiça ou timidez se dirigem directamente (...)sem terem começado por sonhar (...)sem nunca se atreverem a parar durante o percurso(...)
Por medo ainda. Mais do que medo de serem confrontados com as situações, serem presentes Eles próprios ... a sua confortável moral, o seu intocável e público ego... a sua "personalidade"...

maria said...

Ligando com Lindley Cintra "mais vale errar, acreditando" arriscar a visibilidade. Ainda que o que nós sonhamos dos e com os outros seja a única forma saudável de viver os sentimentos.